segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Pessoas nas cidades do milênio rogam humanização

Medianeras
Filme argentino, direção de Gustavo Taretto.


           O filme começa mostrando a falta de planejamento urbano em Buenos Aires. Tanto apartamentos gigantescos, como cubículos, onde o sol nunca entra.  Nas cenas inaugurais aparece um acidente de carro, alguém é atropelado, talvez uma mulher, ou não. A história contada que sabemos a seguir é a de um cachorro que se suicida, pulando do sétimo andar, onde ficava preso em uma sacada minúscula.

Medianeras, o narrador nos conta, são paredes “mortas”, sem janelas ou qualquer outra função. Depois de assistir ao filme andei olhando ao meu redor paulistano, e não sei se temos Medianeras aqui, em São Paulo. No filme sim, o que lhe dá o título. A personagem feminina morava no mesmo quarteirão que o homem que buscava sem conhecer, sua bíblia, o livro desenhado com muitas personagens, “Procurando Wally”. AO mulher e o homem um de frente para o outro, viviam auguras, desencontros, e buscas e anseios.  Simultaneamente, ainda sem se conhecerem pessoalmente, um e outro abrem uma janela “na medianera”.  Uma revelação, o sol que ficava de fora, entra nos apartamentos, ou melhor, na moradia, na casa de cada um deles.

Conversam pela internet, um mais ou menos se descreve ao outro. E na vida real, numa manhã, olhando pela janela recém aberta, a moça avista, quem? Wally, o homem buscado. O filme é importante.


5 comentários:



  1. Pasa un grato fin de semana…

    Envolviendo sentimientos
    en suaves telas de terciopelo
    para elevarlos al universo
    entre nubes de caramelo.

    Un beso al viento

    María del Carmen

    ResponderExcluir


  2. Las palabras nacen en el jardín de tu alma
    como las flores brotan en el vergel de los sueños
    de pétalos transparentes besados por la tundra
    emanando fragancias que aromatizan mis oídos…

    Un abrazo de ruiseñor
    y un beso de mariposa
    para enarbolar una sonrisa
    en el arcoíris de esta mañana…

    María del Carmen

    ResponderExcluir
  3. A mulher
    é a deusa mãe
    de toda criação.
    Única,
    distinta,
    completa,
    e a mais bela
    de todas criaturas...


    Poeta Francis Perot

    8 de março dia internacional da mulher...
    PARABÉNS

    ResponderExcluir
  4. Cara. Não vi o filme, mas a narrativa é nossa e de todos os dias. Viver é a ditadura do aprender, na maioria das vezes entre paredes... Isto cansa e a posição de CBendit era próximo de: Vamos destruir nossas medianeiras...
    No mais, o que importa é a saudade que tenho dos teus arquétipos( bonequinhos) e do teu sorriso.
    Um bom abraço.

    ResponderExcluir


  5. Un buen fin de semana te deseo con el afecto que hemos granjeado desde que he tenido el gusto de conocerte.

    Un beso y una melodía en armonía al día de hoy.

    María del Carmen


    ResponderExcluir